Publicado en Pensamentos

Bloco de Nota

“Lembre-se de que há três coisas que todo sábio deve temer: o mar na tormenta, uma noite sem luar e a ira um homem gentil.”

Patrick Rothfuss

Publicado en Pensamentos

Se cuida

O Lua tá lindo no céu… brilhante, dono de si, poderoso no poder!

Brisa tocando suave no rosto.

Os dias são estranhos, silêncios barulhentos, lábios ressecados na secura desses movimentos sombrios e incertos.

Há muito o que fazer, e ao mesmo tempo não há. Então, aproveita esses dias retidos.

Coloca seu hobby preferido, durma mais cedo, acorda antes do galo, sinta o chegar do dia… faça seu café, um cafuné no ego, tire o pijama se assim desejar.

Abra sua bebida favorita, pode ser a água com gás, o vinho caro, a cerveja barata… coloca um filme, uma música, um documentário, leia um livro, não há regras, escolha o que desejar.

Cuida-se. E aproveita a sua própria companhia.

Publicado en Chá das Onze

Reservei o dia

O Dia. E ele ainda nem nascia, nem surgia nas águas. Agitadas marés! E são as ingratas, que conduzem noites em calmarias.

A melancolia do Dia. Sobriedade que fertiliza o tempo e cria as magias dos dias que não importam tanto. Como um dia de chuva, como um dia de sol. Um dia que não chegará para os nossos entes.

Fortifica, principia, solidariza, ressuscita! Que puta covardia é a morte. Não importa a crença, a morte é mestra, ouve ópera e dança jazz, enquanto que a lágrima, essa molha o sorriso calado e perdido do dia.

Guardei as lágrimas, reservei um dia para todas elas. As que caírem, não são por minha conta. É a foda do dia que brotou.

Nocivo aviso. Não importa, sozinhos ou não, é sempre conosco.

É o dia, Dia! E agora, já é noite. Pra quem é de noite, boa noite.

Publicado en Chá das Onze

O desejo do sábado

Lençóis e flores inspiram mentes e desejos para o dia…

Beijo matinal, luz do sol, barulho dos pássaros, e de algum carro, de algum rádio nutrindo boas notícias.
Cheiro do café… é ele que nos acorda. Exatamente que horas? Cinco, seis… nove? Dormimos, tarde. Antes ou depois do galo da madrugada? Acho que cedo. Ou não dormimos? Estamos acordados aos desejos do dia? Na integridade do Todo, ao êxtase dos caminhos que percorremos? Em estado de paralisia do sono… leve e dormente, dormência, sabe amor.
Dois beijos matinais, um meu, um seu. Um nosso? Eu gosto de três. Três garrafas com água, três biscoitos, três cafés ao dia. Um mais um, é três, é acordo pro dia. São três vezes mais possibilidades de produzir ideias e buscas. Três vezes mais sono. Três horas da madrugada, acordo pra despertar o corpo… um não é pouco, é visão, é princípio de tudo, é atitude, liderança, dedicação, mas, desejo três vezes mais desse ponteiro do dia. Ei, psiu, acooorda. Quero o aroma do café exalando na pele, as pétalas maceradas no corpo…

Não gosto das nozes, das avelãs, mas queria. Pensa… chocolate, café, brisa, musiquinha qualquer pra fortalecer o dia. Dez barras na porta do quarto? O zero com certeza é meu. Passo a exibição. Topo perder o fôlego na caminhada do quarto para a sala, da sala para o banheiro, do banheiro para cozinha, três… mas, a dormência apenas deseja os lençóis limpos… preciso dormir!

♞ Bom dia. Sábado, desfile das campeãs? Vigia o tabuleiro, cuida dos teus peões.

Publicado en Chá das Onze

Esboços

Cansei de estrofes inacabadas, de versos modificados, em poesias desenvolvidas.

Desconcerto em palavras trocadas por emojis que nunca compreendo o que realmente dizem. Eu sei, sou um tanto tonta, mas sei que não quero os símbolos, por mais, que eu os use como desculpa para comunicar algo. Eu sei.

Sigue leyendo “Esboços”