Rei Menino

Por Carlos Drummond de Andrade

📸 pinterest sem especificações

O estandarte do Rei não é de púrpura e brocado, é um lírio flutuante sobre o caos, onde ambições se digladiam e ódios se estraçalham.

O Rei vem cumprir o anúncio de Isaías: vem para evangelizar os brutos, consolar os que choram, exaltar os cobertos de cinza, desentranhar o sentido exato da paz, magnificar a justiça.

Continua leyendo “Rei Menino”

PROFISSÃO DE FÉ


Por Francisca Júlia

Profissão de Fé

Os superbum conticescat
Simplex fides acquiescat
Dei magisterio.

Ouço e vejo o teu nome em tudo: ou nos ressolhos
do vento, ou no fulgor das estrelas, radiante;
tudo é cheio, Senhor, desse perdão constante
Que sai da tua boca ou desce dos teus olhos…

Tu és sempre o mistério, a luz que tenho diante
do olhar, quando te imploro a piedade, de geolhos;
és, a noite, o luar que bate nos escolhos,
iluminando o bom caminho ao navegante.

Ante o perigo não vacilo: acho-me calma;
porque te amo, Senhor, com essa fé singela,
mas forte e intensa, que me vem de dentro d´alma.

Para marcar o mau caminho há sempre indícios;
não há sombra que esconda a escura e hiante goela
dos teus antros sem fundo e dos teus precipícios.

Pedra

Por Víctor Hugo


Cubos perfeitos de Pirita, formados pela Mãe Natureza

Pedra

A pedra mais valiosa é o sentimento.
Cristalino, puro, suave.
Translucido, transparente e verdadeiro.
É uma raridade celestial, talvez extraterrestre.
Um asteróide que foi unificado com os mais singelos e únicos componentes do universo.
Escolhidos voluntariemente pela atração que colidiu entre si, gerando uma harmonia musical.
Cinderela perdeu seus sapatos, mas não perdeu seu coração.
Rapunzel jogou seus cabelos, porém não jogou suas lágrimas e dores.

Continua leyendo “Pedra”

Rima do Poema

É preciso rima no seu poema.

Nãããoo!

Não preciso de rima
Não necessito nem do poema
Preciso ler as notas em dó menor

Preciso ensaiar a poesia da noite
Preciso escrever a dança do corpo
Estacionar o balé em algum lugar quente

Não preciso da rima
Não necessito nem do equívoco
Preciso ouvir as partituras em braille

Preciso ditar os passos dos sonhos
Preciso ensejar o texto climático
Estacionar as estrelas longe das nuvens cinzas.

Não,
Não preciso rimar
Escrever, me basta.

Preciso dormir,
Ir, partir…