Arquivo da tag: Maternidade

Não é fácil ser mãe!

Ser responsável cansa, ser cabeça é cansativo… estou cansada!

Mas, é melhor que ser calda. Melhor do que não ter nada pra ser, e acabar sendo qualquer coisa sem importância.

Fico vendo essas manas com cinco, sete, dez filhotes, nem sei a palavra pra essa façanha, está além da coragem e da disposição.
Eu tenho uma anjinha barulhenta conectada no 220v, que nem dormindo fica quieta. Cansa, viu!

Criar filho é da hora meu. Velar sono, noites e noites, arrumar bagunça, repetir mil vezes, dizer mais duas, três vezes, mais uma vez, mais uma vez… Dormi!!!!

Cansei por ontem, por sábado, pelo mês passado, cansei por 2018 inteiro!

Tem onze anos que estou cansada, imagina a mina que tem dez crias?

Eu mal consigo administrar minha maloca, relaxar, trabalhar, cozinhar, cuidar, etc. Mal consigo ter tempo suficiente pra nós.

As vezes tenho vontade de entrar num barquinho e ir… só ir… sem prazo pra voltar, sem ter a obrigação de voltar. Mas daí meu despertador humano me acorda… Caya!

Ser mãe é surreal, coisa de fêmea forte, mas cansa, igual descarregar caminhão de cimento.

Mana, um beijo pra você que é mãe!

| minha filha |

Minha amiga Sizia me desafiou a postar uma foto que tenha a representação da maternidade. Eu resolvi aceitar, mas não consigo simplesmente postar uma foto sem dizer algo.

Creio e nunca escondi de ninguém que os mistérios da vida, “criação” é um milagre divino e grandioso aos meus olhos.

É um projeto além do corpo físico.

Tanto a forma científica e religiosa tem um lado único de se explicar, preciosa e bastante fascinante.

Uma nova criança nasce no momento da concepção, desde do ato sexual, ou até antes, quando simplesmente desejamos ou não gerar essa criança. O fato é que ela te escolheu.

Eu, me vi grávida e confusa na minha gestação. Um místico de dúvidas e tormentas. Alegre por saber que era um presente de Deus, uma oportunidade única de gerar uma criança com planos além da minha capacidade de entendimento, e depressiva por toda situação e estrada que eu teria que enfrentar sozinha.

Não foi fácil os últimos sete meses de gestação, foi doloroso, foi enjoado, foi vomitado, foi tenso, foi irritante, mas, acima de qualquer coisa foi respeitado!

Deveria ter sido tudo diferente, mas, não foi. Consequência existe! E não é novidade, “odiei” estar grávida, mas, amei minha branquela, suja e inchada no momento em que vi sua respiração, ainda com aquele cordão que nos ligava.

Eu ainda admiro muito a maternidade, ainda vou fazer uns partos por aí… rs.

O ser mãe é um ser único, mesmo aquelas que deixam seus filhos, quanto aquelas que adotam os filhos de outras. Até as mães insuportáveis, e aquelas amáveis.

Deus em sua sabedoria presenteou as mulheres, Deus nos amou! E todo homem tem o dever de amar também.

Quanto a foto representa o sorriso mais sincero e amoroso que eu já tive, a pulseira foi a primeira que ela usou.

Eu sou grata a Deus por me abençoar com uma filha linda, amiga, conselheira, carinhosa e amável.

Agradeço também ao pai dela por ter tido participação especial em sua geração, poderia parecer mais comigo, seria mais fácil, mas…

E agradeço minha amorinha Caya Cris por me transformar nessa mãe chatona e super paciente que sou.

Quanto ao desafio…

Eu não desafiarei nenhuma mãe, porque ser mãe já é um grande e eterno desafio.

Eu desafio vocês mulheres e homens a criarem mais consciência com filhos!

Paz e Fé!