Arquivo da tag: liberdadeépraserlivre

| seja amor |

20200515_103013.png

Se não for para trazer o café, o chá, conversar com plantas, declamar poesias, escrever o discurso de sábado, fazer um som, cantar um rezo, e providenciar uma carona para passar a vida, nem solicita o embarque.

Se não for para ser boa companhia, sorrir e abraçar quando tudo vai mal, quando os olhos virarem cachoeiras, e o coração, um botão no meio do jardim, nem joga as sementes.

Se não for para fazer uma oração, acender uma vela, um incenso, providenciar o jejum, clamar os anjos, os deuses, as entidades, e chamar o próprio Deus para nos acompanhar, nem acenda a fogueira.

Continuar lendo | seja amor |

|Uma noite em Santana |

Como o trem das onze que não veio, nós dois no telhado olhando a terra girar.

Sinto falta do chá feito pra nós…

Daqui, mudei as ervas, os comprimidos, os banhos, os ouvidos, as escritas. Os incômodos, agora falam comigo, e os pesadelos, são meus velhos conhecidos.

Eu adormeço em Santana,
E tu amanhece em meus braços.

Pego-te, cheiro-te e recolho minha significância, como a flor do jardim que não existe.

O olhar sereno e forte, seu brilho ilumina o dia.

É o ser consciente, delicado e totalmente bruto. É contraditório, eu sei. Mas, tudo que nos envolve é. Ainda que envolvimento não há.

Sua história, sua jornada, sua trajetória, nada mais será tão ignoto, quanto suas próprias escolhas.

E não sei por quanto tempo posso te sentir em meu ser.
Eu não tenho dormido, automaticamente, não consigo te trazer para os sonhos. Sua presença, embora aqui, passeia em pensamentos oscilantes.

Estou à tomar o café da manhã que não bebemos…

Lendo as cartas que não escrevo, relendo os sonhos de luz e medo, dos lugares onde nunca estive, mas, sempre vivi.

Os pássaros continuam estacionados nas rochas, como quem grita o preço da nossa liberdade…

Amor, tu és livre! Libre!

Nas areias de Santana, despir-me das vestes que ainda nos cobriam de desesperança e desconsolo.

Nua, mergulhei mais uma vez, sobre o mesmo penhasco; um oceano só meu.
Uma montanha para blindarmos o pôr do sol, e despedir-se dessa consciência.

Agora, estou observando as palavras da janela, do lado direito do avião que nunca peguei. Desse lado, escrevo o poema que nunca vou enviar. Do outro, saio novamente do aeroporto, e escrevo a poesia que ninguém vai saber.

É um vai, sem volta, e um foi que nunca mais venho!

Tô cansada…
E cansei de falar contigo,
Tu cresceste tanto que mal cabe em seu recinto.

[Tenho falado tanto contigo, que quem vê, acha que estou a falar sozinha. É estranho falar com as plantas, pior é que de tanto silêncio, agora, pareço ouvi-las.]

| medo |

O medo de sentir mais do que sabe que aguenta. E aguenta muito. E muito, é pouco.

Receios do amor, de amar, de estar com alguém não desperto, e acabar não evoluindo no amor. Receios de não sentir.

Medo da entrega, receio do tempo, embora, não haja pressa, existe o desejo da presença. E o medo dessa liberdade.

Eu tive medo de nunca sentir o abraço, e de alguma maneira não dolorida, o medo ainda existe.

Sinto o envolvimento do seu calor. E quando te trago para os sonhos, há uma suavidade e uma nuvem densa.

E enquanto, me encharco na chuva, sinto seu corpo, sua mente, o cheiro da pele, e a leveza da alma. E vejo seu sorriso na passagem do dia.

E a paz que habita na sua voz, e os segredos que existem no seu olhar.

Sem medos.

|E daí? |

E daí que eu tenho um útero e uma Mitocôndria na parede?!
Tem gente que nem parede tem… 😢

E daí que prendo flores mortas com durex?
Tem gente que paga duzentos conto num buquê, só porque bateu o remorso.

E daí que eu tenho um monte de pedras de lugares diferentes?
Ao menos, eu pedi permissão e agradeci a natureza. E eles, pediram nossa opinião para aumentarem os impostos?

E daí que eu acendo fogueira na lua cheia?
Eles jogam bombas em colégios, em hospitais. 😢

E daí que acendo meus incensos, faço minhas meditações, minhas orações, ouço meu dub, meu ska, meu jazz, meu louvor, meu tambor?!
Tem gente buscando santidade, casado com os sete pecados capitais.

E daí se sou uma fresca, criada por vovó, e filhinha de papai? 😂😂😂
O Temer já matou o país inteiro de vergonha, de desgosto e alguns ainda batem palma pra ele. 😨

E daí que Jesus não agradou todo mundo?
Você não vai querer se comparar a Jesus, né?! Vai lá, e faça melhor, por obséquio!

E daí que eu amo chá?
Tem gente que bebe água destilada. 😎

E daí que eu não gosto de carne vermelha?
Tem gente que não gosta de gente! 🙁

E daí se tenho um gosto digamos “refinado”?
Tem gente que come jiló… kkkkk e pior tem gente que nem tem o que comer.😢

E daí que eu gosto, amo e enjoo?
Neste caso, realmente existe problemas! Porque as pessoas seguem, vivem, e eu continuo uma grávida, enjoada. (Em tratamento) Alguém disposto a me salvar? 😂😂

E daí que gosto de escrever, mas, tenho preguiça de ler?
Eu descobri um app, que só aumentou minha preguiça. Mas, e você, já leu as linhas do seu olhar, do seu sorriso?

E daí que eu acredito no Amor?

Sim, eu acredito no amor humano, embora já esteja esse esfriamento na terra, o Amor de Deus é real, papai Existe de verdade.

Eu, em minha insignificância busco evoluir esse dom chamado Amor.

Não é fácil, dói, nos quebra, nos arranca a alma, os neurônios, mas, é esse mesmo amor que nos renova TODOS os dias, e nos enche de paz, e de esperança. Portanto quando ofereço o outro lado da minha face, eu não estou sendo boba, estou preservando a minha preciosa paz.

E daí que eu não te dou confiança?

Isso não é pra TODOS, existe princípios. Exige respeito!

~ intensidade!

Não é que eu não tenha receios, também não quer dizer que eu amo correr riscos, apenas não aprisiono minha liberdade.

Não ofusco meus sentimentos, não sei ser metade de mim, não consigo ser partes, mesmo sendo parte, necessito ser inteira, viver a intensidade das escolhas, viver o prazer do gozo.

Gozar sem pesadelos futuros, gozar o riso, o choro, gozar a piada mal feita, afinal minha liberdade não constrange meus princípios e nem minhas responsabilidades.

O que faço com minha liberdade não me condena.

A liberdade é pra ser livre.