Gentileza

Olhares cegos, seres surdos e mudos, que por preferência, não enxergam. Olhos fechados, aumento descontrolado de pessoas, sufocando, agonizando, ofegando por um instante de ar, de vida, de capacidade… sobrevivendo em misérias. Perceba, veja os hipócritas… Observa os outros. As tristezas escorrem nos olhos, na dor e no desprazer… é um ócio estacionado, outro ódioContinúa leyendo “Gentileza”

Irmã Dulce – O Filme

“Ame simplesmente, porque nada nem ninguém pode acabar com um amor sem explicação! Tudo o que acontece no universo tem uma razão de ser; um objetivo. Nós como seres humanos, temos uma só lição na vida: seguir em frente e ter a certeza de que apesar de as vezes estar no escuro, o sol vaiContinúa leyendo “Irmã Dulce – O Filme”

Pedra no caminho…

Flor ou Pedra? | Texto escrito em Abril de 2017. Tu podes dizer que é amargo, mas, quem prova, diz que é doce. Tu podes dizer que é Luz, mas, quem prova diz que és escuridão. Somos o que somos, e pronto! Mas, o que seremos, flores ou pedras? • O que faz com asContinúa leyendo “Pedra no caminho…”

Aula com Mateus

“Tia, vocês enxergam a gente de lá de cima?” Eu fiquei muda. Nunca havia olhado com essa percepção. “Do lado de cá nós somos como lixo no asfalto!” Estava na esquina, tomando meu sagrado e fiel café, em uma das ruas mais movimentadas do centro da cidade. Naquele dia, Mateus comia sua pizza e fezContinúa leyendo “Aula com Mateus”

Pedrinho, tão duro quanto o rochedo.

Quando alguém fala de Pedro, lembro do ditado: “Água mole, pedra dura, tanto bate, até que fura.” A maioria remetem a figura e vida de Pedro, as muitas histórias do pescador de homens. Sim, Pedro foi um grande evangelizador, convertendo até três mil homens em um de seus sermões. Desda maneira, entendemos que Pedro teveContinúa leyendo “Pedrinho, tão duro quanto o rochedo.”

Ausência do amor conjugado

Nós, seres humanos, somos todos semelhantes, e poderíamos sermos até iguais, se, não houvesse tantas divisões idiotas, tanta intolerância. Como espécie, diferenciamos-nos em detalhes, em algumas pequenas características que nos fazem únicos, em nosso caráter, e em nossa própria personalidade, mas, como coletivo, nossas diferenças, éticas, morais e sociais, tem nos assassinado. Estamos morrendo! NãoContinúa leyendo “Ausência do amor conjugado”