Publicado en Músicas

Rosa Amarela 🌻

Datas de Celebração e Luta pelos direitos dos povos Ciganos:

8 de Abril ~ Dia Internacional do Cigano

24 de Abril ~ Dia Nacional do Cigano

2 de Agosto ~ Dia Internacional em Memória do Holocausto Cigano

Thie Aves Thiatlô Lom, Manrô Tai Sunkai! ☘

Viva o povo Cigano! Optchá, Calim.

Publicado en Sociedade

Dia Mundial da Saúde

O que diz a Constituição sobre SAÚDE?⠀

📎Artigo 196 – Saúde é direito de todos. É dever do estado garantir a saúde por meio de políticas sociais e econômicas, objetivando a redução de riscos de doença e acesso universal e igualitária às ações de proteção e recuperação.

📎Artigo 197 – É de responsabilidade do Poder Público regulamentar, fiscalizar e controlar o sistema de saúde. Sua execução deve ser feita de forma direta ou por meio de terceiros.

📎Artigo 198 – Fala sobre a Regionalização da rede e hierarquia das ações e serviços públicos de saúde bem como o financiamento do SUS.


📎Artigo 199 – A assistência à saúde é livre de iniciativa privada, podendo ser complementar ao SUS.


📎Artigo 200 – Dispõe sobre o controle e fiscalizaçao que o SUS pode fazer de procedimentos,produtos e substâncias de interesse a saúde,além de sua participação na produção de medicamentos e equipamentos e execução das ações de vigilância sanitária e epidemiológica. Ordena a formação de recursos humanos.⠀

Via: Socializando Saberes⠀

Publicado en Poetisa

Mari, Ela.

Das coisas infelizes que fazem. Ou não!

Beijos molhados que escorrem mel adocicado. Violetas brancas da sala, taça um suco azedo na cozinha.

Era moço menino, era homem rude, nunca apaixonado, nunca rendido a quentura da sede, nunca afobado nos seios fartos da Mariela.

E Mari, amava ela. Ela era menina farteira, risonha, espoleta. Queria o beijo, o abraço, a história, o tempo, os atrasos.

Mari queria o mar só pra ela. Ele queria só a rede e a brisa da varanda.

Mari e ela queriam o mundo das estradas, a carona da vida, as aventuras e os voos dos pássaros.

O dia corria e o menino tingia o dia no suor do trabalho, a vela da Mari ardia e de tanto cantar seus pedidos, chorava.

Certo dia, a vela apagou, enquanto o moço comia o bolo, o café ainda quente, esfriava ao sol. Os olhos molhados encontraram no horizonte, o beijo da Mari indo embora.

Os pássaros naquela manhã calaram, como quem honram a presença Maior. Não há tempo para despedidas. A estrada é longa, e Mari tinha pressa pra beijar sua outra vida, Ela.

Imagens: pinterest

Publicado en Poetas, Sociedade

Musa impassível

Musa Impassível – poema, escultura, filme.

O poema

MUSA IMPASSÍVEL I

Musa! um gesto sequer de dor ou de sincero
Luto jamais te afeie o cândido semblante!
Diante de um Jó, conserva o mesmo orgulho, e diante
De um morto, o mesmo olhar e sobrecenho austero.

Em teus olhos não quero a lágrima; não quero
Em tua boca o suave o idílico descante.
Celebra ora um fantasma angüiforme de Dante;
Ora o vulto marcial de um guerreiro de Homero.

Dá-me o hemistíquio d’ouro, a imagem atrativa;
A rima cujo som, de uma harmonia crebra,
Cante aos ouvidos d’alma; a estrofe limpa e viva;

Versos que lembrem, com seus bárbaros ruídos,
Ora o áspero rumor de um calhau que se quebra,
Ora o surdo rumor de mármores partidos.

MUSA IMPASSÍVEL II

Ó Musa, cujo olhar de pedra, que não chora,
Gela o sorriso ao lábio e as lágrimas estanca!
Dá-me que eu vá contigo, em liberdade franca,
Por esse grande espaço onde o Impassível mora.

Leva-me longe, ó Musa impassível e branca!
Longe, acima do mundo, imensidade em fora,
Onde, chamas lançando ao cortejo da aurora,
O áureo plaustro do sol nas nuvens solavanca.

Transporta-me, de vez, numa ascensão ardente,
À deliciosa paz dos Olímpicos-Lares,
Onde os deuses pagãos vivem eternamente,

E onde, num longo olhar, eu possa ver contigo,
Passarem, através das brumas seculares,
Os Poetas e os Heróis do grande mundo antigo.

Sigue leyendo “Musa impassível”

Publicado en Pensamentos

Bênçãos de Páscoa

A história da Páscoa, tanto judaica, quanto cristã, fala da liberdade retirada de um povo, que viveu oprimido por anos, ofuscados por laços confusos e más escolhas e que finalmente alcança a alforria. Será? Uma vitória na luta, não na batalha, eu diria.

A vivência da liberdade tem um preço, uma escolha e uma consequência. Muitas vezes, dolorosa e cansativa, e necessita de altos investimentos, principalmente o mais valoroso: o tempo. É necessário sacrificar muito, inclusive princípios e pessoas, mas se o objetivo é alcançar a tão sonhada e esperada liberdade, lute. E não se iluda ao ver a liberdade alheia. Não somos capazes de enxergar todos as renúncias que este teve que escolher. Toda escolha tem um preço e o valor, quem dita somos nós. É sobre escolhas sempre.

Trazendo para os dias atuais, eu digo: lute como nossos antepassados! Como grandiosos homens e sábias mulheres, que lutaram para viver sua liberdade e continuar vivos e bem com ela. Fica viva (o).

E vamos ceiar com amor, e por amor! Bendizer nossas refeições, alegrar-se com nossos parentes e amigos, solicitar saúde (abril mês dos caminhos, mês da saúde!), emanar altas vibrações, orar por misericórdia e discernimento, orar por nossas autoridades e responsabilidades, por nossa liberdade.

🕎 Que não nos falte fé no hoje. E que Deus venha entrar nos lares de tantas e tantas famílias que hoje choram, presos, sem ter o que oferecer aos filhos e aos outros, sem sua liberdade de escolha.

Bom mês de Abril! Que todos os dias sejam santos.

Gratidão, Deus.