Ah, as minhas filhas…

São três belas moças distintas e precisas, e abençoadas por mães que são não as melhores, mas são as mães que pariu as filhas.

As filhas Arianas, Virginianas, Sargitarianas, as Anas.

As Anas das abas dos pensamentos, mas não são Anas, nem amas e nem as abas, são as filhas dos úteros de mulheres fortes, as filhas.

Eu sou um útero, elas são. Somos o útero de outras mulheres, somos três flores, fomos útero, seremos útero para as outras flores.

Três flores evoluindo no mundo, as filhas, minhas filhas que são minhas.