Santa Sara Kali

Dia 24 de Maio é comemorado o dia de Santa Sara Kali, a santa protetora de todo o povo cigano.

Ela é provedora da sorte, do amor, da saúde, da fartura e também da vida longa. Tem ligação forte com as mulheres que têm dificuldade ou não conseguem engravidar, dos desesperados, dos ofendidos e dos desamparados.

Santa Sara foi canonizada em 1712 pela igreja católica. O termo Kali significa “a negra”, porque sua pele era escura.

Santa Sara é vista como a “Princesa da Beleza Negra”, vestida de azul, rosa, branco e dourado, ela é tradição entre os povos ciganos. Segundo relatos antigos, diz-se que nos olhos de Santa Sara é onde você encontrará a força de Deus, a força da mãe, a força do amor da irmã e da mulher, a força das mãos, a energia, o sorriso, a magia do toque e a paz.

No dia 24, é Dia de Santa Sara Kali. No entanto, foi no dia 25 de maio de 2006 que os ciganos conquistaram seu Dia, por meio de decreto assinado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A partir daí, a criação do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial e a publicação de uma cartilha de direitos da cidadania cigana abriu um espaço para a inclusão em políticas públicas e afirmação da sua identidade cultural de seus grupos.

O Povo Cigano

Entendemos por ciganos um grupo de pessoas que são nômades, divididos em clãs que perambulavam pela Europa. Os ciganos estão longe de constituir um povo único e homogêneo, e são divididos em várias etnias.

Também são conhecidos como “romi” e ao longo da história Ocidental foram marginalizados por conta do seu modo de vida, considerado incompatível com a sociedade europeia.

Como os ciganos não possuem um idioma escrito, toda sua história foi escrita por não-ciganos. Por isso, nem sempre os testemunhos são isentos de preconceitos.

Uma das grandes questões é saber qual o lugar de origem dos ciganos. Atualmente, considera-se que a Índia, especialmente a região do Punjab, seja a terra natal mais provável. Dali teriam passado ao Egito, e dali para o continente europeu.

O primeiro documento que atesta a presença dos ciganos na Espanha é de 1423, quando os mesmos pedem permissão para cruzar o território a fim de peregrinar a Santiago de Compostela.

Povo cigano no Brasil

Os ciganos chegaram ao Brasil com os navegantes portugueses. As autoridades de Portugal viam nos seus territórios ultramarinos uma oportunidade de se livrar desses indivíduos que eram considerados “indesejados”.

Os ciganos estabeleceram-se em praticamente todo o território nacional, especialmente na Bahia.

Atualmente, existem três grandes grupos ciganos no País. O primeiro, oriundos de Portugal e Espanha, que mantém o dialeto caló. O segundo, o Rom, que utiliza o romani, e são oriundos especialmente do Leste Europeu. Finalmente, os Sintis, da Alemanha e da França, após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Segundo os dados do IBGE, em 2010 havia cerca de 800 mil ciganos no Brasil. A maioria já não vive como nômades e estão fixos numa região.

Cultura cigana

Por serem nômades, os ciganos foram incorporando hábitos e costumes das regiões onde estavam. No entanto é possível identificar traços comuns que compõem a cultura cigana.

Os ciganos acabaram exercendo ofícios que podiam ser desempenhados em todos os lugares. Por isso, os homens eram ferreiros, comerciantes, cuidadores de cavalo e gado.

Dentro dos clãs ciganos, as mulheres estão mais restritas à esfera doméstica, porém realizavam trabalhos como costureiras, rendeiras e artistas. Também se dedicavam a leitura das mãos e de baralho para predizer o futuro.

Os valores como a fidelidade à família e ao clã, e os casamentos entre si são outras características marcantes que podemos observar em todos os ciganos.

Romani – língua cigana

Os ciganos desenvolveram o idioma romani, também chamado romanês.

Trata-se de uma língua ágrafa (não escrita) e ensinada de forma oral, pelas famílias ciganas. Há etnias que o falam com desenvoltura, mas outros, apenas conhecem algumas palavras.

Igualmente, é proibido aos não-ciganos aprenderem esta linguagem. No entanto, com a globalização e a internet, essa barreira começa a se romper.

Religião cigana

É importante frisar que os ciganos não tem uma religião no sentido estrito do termo. Eles possuem um conjunto de crenças e princípios, mas não existe a figura de um deus (ou de deuses) em concreto, nem hierarquia religiosa.

Os ciganos adotavam a religião do território por onde circulavam. Desta maneira encontramos ciganos católicos, ortodoxos, evangélicos, espíritas e muçulmanos.

Entre os católicos ciganos é grande a devoção em torno a Santa Sara de Kali, que teria sido amparada por ciganos, no sul da França.

Na religião umbanda existem as “entidades ciganas” que seriam os espíritos de ciganos já falecidos.

Bandeira cigana

Um dos símbolos que mais representam o povo cigano é a bandeira azul e verde com a roda vermelha. A bandeira foi instituída pela Internacional Gypsy Committee Organized, durante o Primeiro Congresso Mundial Cigano, em 1971, a bandeira é o símbolo internacional de todo o povo cigano.

A roda vermelha simboliza a vida – o caminho a percorrer e o já percorrido; O azul representa os valores espirituais – a ligação do consciente com mundos superiores; O verde representa a Mãe Natureza – o respeito e gratidão pela terra.

Outros elementos que representam os ciganos são lenços e saias coloridas, punhais, canela, folha de louro, moedas, vinho com frutas e frutas, brincos de argola e pulseiras.

Dança cigana

A dança cigana é resultado da mescla de vários elementos, mas foi na Espanha que ela ganha força.

Os ciganos dançavam nos seus acampamentos, nas festas, acompanhados de instrumentos musicais, canto e palmas. Tanto as mulheres quanto os homens dançavam no meio da roda.

Desta maneira, a dança cigana é sensual, forte e bastante expressiva, pois todo o corpo participa dos movimentos. Entre as mulheres há o costume de dançarem descalças, com longas saias e ricamente enfeitadas com joias.

Dentre todos os elementos da cultura cigana, o flamenco é a que tem maior expressão em nível mundial.

Preconceito contra os ciganos

Os ciganos sempre foram alvo de preconceito na Europa e este comportamento passou para as Américas.

Um dos motivos pelos quais sempre foram mal vistos era o seu estilo de vida. Eram nômades, numa sociedade sedentária; não possuíam leis escritas, numa época em que todos as tinham. Igualmente, apesar de aceitarem o cristianismo, praticavam certas práticas condenadas pela Igreja como a adivinhação do futuro.

Assim surgiram todo o tipo de histórias sobre este povo classificando-os de trapaceiros e ladrões, como se estas atitudes fossem exclusivas dos ciganos.

Há uma infinidade de ideias preconcebidas contra os ciganos, uma das mais comuns é que os ciganos roubavam crianças e há numerosas lendas de bebês que sumiram depois da passagem de um grupo cigano numa cidade. Temos que considerar, porém, que todo povo marginalizado era acusado deste crime.

Outra acusação muito comum era que os ciganos roubavam e mentiam. Isto é verdade quando um cigano se relaciona com um não-cigano. No entanto, entre eles, há códigos de honra severos que impedem a desonestidade entre eles. Tais atitudes eram usadas a fim de se protegerem contra os ataques externos e não uma características que nasceu com este povo.

Perseguição aos ciganos

Os ciganos foram perseguidos durante a formação das Monarquias Nacionais na Europa, pois todo aquele que não era católico, foi expulso. Essa medida atingiu igualmente judeus e muçulmanos.

Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1845), os ciganos foram perseguidos e confinados em campos de concentração nazistas. Calcula-se que 250 mil ciganos tenham sido mortos neste período, especialmente na Croácia, onde a população quase foi exterminada.

Holocausto Cigano durante a Segunda Guerra Mundia

Oração a Santa Sara Kali

“Tu Sara Kali que estás no céu, olhem para nós teus filhos que estamos aqui na terra.

Nos cubra com sua misericórdia e amor.

Que o seu manto nos envolva a todos neste momento, tirando de nós todas as tristezas, as doenças, as invejas, as mágoas.

Tu que sofreste em vida, sabe o que cada um de nós está passando, nos dê força para superarmos todas as provações e as dificuldades, que envolvidos por seu amor, sairemos ilesos de tudo isto.

Tu minha mãe Sara nos conceda, saúde, felicidade, harmonia, prosperidade, amor, fé e paz de espírito. Segure em minha mão, e como uma mãe bondosa que olha para uma criança, nos leve para os caminhos que devemos trilhar e nunca nos deixe cair, nos caminhos que nos levará para longe de ti.

Santa Sara, que eu seja digno do seu amor e de sua proteção, abençoe minha vida, a de minha família, a de meus amigos e de meus inimigos, para que assim ele possa se distanciar de mim, e não mais me direcionar nenhum mal.

Permita que eu beije suas mãos e o seu coração, que eu seja seu filho abençoado para todo o sempre.

Que assim seja!”

Optchá! Saravá povo da rua.

Fontes: Toda Matéria | TUNGRA

Imagens: Pinterest

2 Comments

Deje un comentario

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s