Conscientização da Leucemia

Quase 6 mil homens e 5 mil mulheres serão diagnosticados com leucemia no Brasil em 2020, segundo o Inca. Para alertar sobre os sintomas e conscientizar a população sobre esse câncer hematológico, foi aprovada a Campanha Fevereiro Laranja.

A leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos, geralmente, de origem desconhecida. Tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais.

A medula óssea é o local de fabricação das células sanguíneas e ocupa a cavidade dos ossos, sendo popularmente conhecida por tutano. Nela são encontradas as células que dão origem aos glóbulos brancos (leucócitos), aos glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) e às plaquetas.

Na leucemia, uma célula sanguínea que ainda não atingiu a maturidade sofre uma mutação genética que a transforma em uma célula cancerosa. Essa célula anormal não funciona de forma adequada, multiplica-se mais rápido e morre menos do que as células normais. Dessa forma, as células sanguíneas saudáveis da medula óssea vão sendo substituídas por células anormais cancerosas.

“É importante salientar que dentro da palavra leucemia estão incluídas várias doenças diferentes entre si. De uma maneira geral, elas podem ser agudas ou crônicas. E, dependendo do tipo de linhagem de glóbulo branco afetado, mieloides ou linfoides” explica o Dr. Nelson Hamerschlak, coordenador da Hematologia do Hospital Israelita Albert Einstein. Diferentemente de outros tipos de cânceres que acontecem, principalmente, em pessoas de mais idade, as leucemias podem aparecer em qualquer época da vida. Inclusive, dentre os cânceres pediátricos, ela está em primeiro lugar nos mais comuns (28%), seguida pelo câncer do sistema nervoso central (26%).

Existem mais de 12 tipos de leucemia, a leucemia linfoide aguda (LLA) é mais comum em crianças e jovens. Enquanto que as crônicas, sendo elas leucemia linfoide crônica (LLC) e leucemia mieloide crônica (LMC), e a leucemia mieloide aguda (LMA), aparecem mais em pessoas acima de 50 anos. Não se sabe exatamente porquê das leucemias se desenvolverem, entretanto acredita-se que é devido a uma mutação genética não somática. Ou seja, uma mutação que não pode ser passada de pai para filho.

“Algumas causas que podem determinar essas mutações são conhecidas. Como irradiação, benzeno e outras substâncias químicas em grau de intoxicação. No entanto, de uma forma geral, não sabemos a causa e nem determinar o motivo de alguns tipos serem mais comuns em certa idade”, diz o hematologista.

Sintomas de leucemia

Os sintomas dessa doença vão variar de acordo com a sua intensidade, sendo que nas agudas, eles são mais visíveis. Tanto na LLA quanto na LMA, o paciente, normalmente, manifesta sinais de anemia, como palidez, cansaço e sonolência. Além de gânglios aumentados, febre, infecções, sangramentos e hematomas.

“Geralmente, esses hematomas são parecidos com aqueles de trauma onde se formam equimoses (manchas roxas)”, ressalta o Dr. Hamerschlak. Enquanto que nas leucemias crônicas, LLC e LMC, é possível que os pacientes não apresentem nenhum sinal. Mas, os que desenvolvem, sentem cansaço e aumento dos gânglios e baço. Sim, esses sintomas podem parecer muito similares a sintomas de doenças mais comuns, como a gripe. Por isso, o especialista indica que “todo paciente com sintomas como febre, palidez, fadiga e manchas roxas devem ser avaliados. O médico pedirá os testes que julgar pertinente”.

Além dos sintomas aparentes, a leucemia também causa alteração nas células sanguíneas que podem ser observadas por meio do hemograma. Por exemplo, o resultado desse exame de sangue de uma pessoa com leucemia apresentará diminuição dos glóbulos vermelhos e plaquetas e aumento ou diminuição dos glóbulos brancos. Entretanto, como outras doenças não malignas também podem ter esse quadro, é necessário pedir exames complementares, como o mielograma, para diagnosticar a leucemia. Os sintomas e sinais, geralmente, são os mesmos independente se o paciente for jovem ou adulto.

Fevereiro Laranja

Seus principais objetivos são alertar a população sobre importância do diagnóstico precoce e do tratamento da leucemia.

Quando a leucemia infantil é diagnosticada precocemente e a criança submetida ao tratamento adequado, as chances de cura chegam a 80%.

Na LMC, a rápida descoberta da doença permite que o paciente tenha uma vida praticamente normal, precisando apenas de uma medicação. Em alguns casos da LLC, é preciso apenas o monitoramento por meio de exames anuais. Já as leucemias agudas podem precisar de tratamento mais intenso, com quimioterapia, terapia alvo, radioterapia e/ou transplante de medula óssea. Mas também apresentam bons prognósticos se diagnosticadas rapidamente.

O grande problema no transplante de medula óssea, um dos temas abordados pela Campanha, é a compatibilidade. Para que esse procedimento possa ser feito, é preciso que a medula do paciente e do doador sejam compatíveis. Assim como acontece no transplante de órgãos.

Procura-se essa compatibilidade primeiro entre os parentes mais próximos. Caso não seja encontrado ninguém, procura-se nos bancos de medula, como o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). Daí vem a importância da doação de medula óssea.

Achar alguém compatível é difícil. Entretanto, quanto mais voluntários doando, maior a chance de o paciente encontrar e poder realizar o transplante.

Saiba mais sobre doação de medula óssea

Fontes: Inca.gov |Abrale

3 Comments

  1. Excelente e bastante instrutiva a postagem. Deve-se tornar mais conhecido o que são as leucemias, saber como se faz o diagnóstico e, claro, permitir maio acesso ao tratamento. Parabéns pela iniciativa.

    1. Agradeço o comentário, a ideia é divulgar mesmo, fazer com que outras pessoas tomem nota. Mas, principalmente, gratidão pelas divulgações que proporciona no blog Hemato na Web. Gratidão. 🙏❤

Deje un comentario

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s