Amor, verbo amar!

Na era do “novo mundo”, estamos submetidos à propostas que não competem a nós. Vejo com frequência, a empolgação de seres humanos que estão enamorados com “proposta sem sentido”, ou comprometidos em situações prazerosas e momentâneas, essas, muitas vezes com fins, que só os levarão para a morte. Vejo com clara observação, o aumento tornando-seContinúa leyendo “Amor, verbo amar!”