Suspiro

Presa no suspiro, na garganta. Agarrada à ofegante. Nas trêmulas mãos um gole em todos os pensamentos. Nos insanos, nos imprevisíveis, nos intocáveis, nos maléficos, nos libidinosos e nos gentis. A dose extra, por gentileza. Em degustes valorosos. Quis, bem no triz. Houve um milésimo de segundo, onde desejei. Quis o suspiro, a respiração, oContinúa leyendo “Suspiro”

Consolação?

Frígida; presa na bruma. Prefulgida visão; sensação em desconsolo. Tarefa árdua? Nobre desprendimento. O que é desespero? É ver o filho cair do nono andar, é a sensação do carro capotando na rodovia? Um último suspiro, o silenciar de um tempo, o atravessar dos trilhos? É a violação do corpo, a impotência do agir, éContinúa leyendo “Consolação?”