É preciso gerar novas expectativas!

Eu, sinceramente, não sei como e nem de que maneira fazer isso acontecer. Não nesse momento.


Tô meio paralisada, fechando os olhos para notícias e pessoas, tô meio que distraída fugindo de alguns assuntos, tô confiante e ao mesmo tempo cética para determinadas ideologias.

Tô buscando minha criança em momentos que deveria ser matriarca .

Não estou fugindo da minha responsabilidade, estou me resguardando, me privando, e não querendo expor de maneira inadequada.

Por outro lado, não tô ligando para nada disso. Tô só querendo transcender todos esses sentimentos que estão acompanhando e gritando comigo madrugada pós noite.


Tenho consciência do que funciona pra mim, e do que traz ou mantém minha esperança em dias de dificuldades, ou em tempos de crise.

Já levei tanta porrada da vida, tanto empurrão no olho do furacão, que depois de um tempo, vento contrário, já não assusta, ajuda, mas, sei que não funciona da mesma maneira para todos, e principalmente para quem não tem saúde, fé, e uma vida financeira estável.

Sim, saúde, fé e dinheiro, mudam todo seu conceito de viver e vê a vida. Tanto pro lado ruim, quanto pro lado bom. Não seja escravo de nenhum deles.

É muito fácil, vir aqui, escrever um texto lindo, cheio de amor e repleto de esperança pro futuro, ou cheio de expectativas. Ou fazer uma live, um show, um podcast.

Mas, diante dos olhos críticos e contraditórios, que embelezam meu ser, tudo isso, soa vazio! E, é vazio, por mais significância e boa intenção que tenha.

Não tô aqui julgando ninguém, okay; façam! Estou apenas expressando o meu sentimento após um plantão “esquisito”.

Eu vejo, amigos pedindo ajuda, para alguém que está afligido, doente, necessitado, sem recursos, porque dependiam do trabalho diário.

Ou companheiros de trabalho sem o mínimo para trabalharem, e-ou para se protegerem, e aqui me incluo.

Nem máscara temos, se não comprarmos com nosso dinheiro.

Um café, dois cafés, outro grupo orando no refeitório, e ao ouvir as súplicas das orações, eu e o sacerdócio tomamos outro tapa cara.

Quantos tapas precisaremos para despertar no nível que Deus nos quer?


É cruel, o máximo que fazemos, ainda é o mínimo do que precisamos!


Sabemos, tem pessoas que não terão o futuro, elas não vão chegar além do presente.

O presente momento continua seguindo esse fluxo egoísta, solitário, individualista. Oremos,

Deus! Sopra o vento… trata nas primícias do sopro da vida…

Quantas vezes eu fiz essa oração?!

Tantos dando seu suor, seu melhor, e até o seu impossível, outros criando novas formas de alimentarem o ego.

Viver, é tenso. Projetar, vibrar no amor é doloroso.

Não estou falando da morte, ou dessa enfermidade atual. Tô enjoada do nojo vomitado por alguns seres; nulos de luz.

Eu não tenho dificuldades com pessoas, sentimentos, e com palavras, tenho com a língua portuguesa, em suas inúmeras regras e exceções. Então eu posso passar a noite escrevendo, mas, a realidade não é poética.

E, eu não consigo impedir de sentir assim.


Eu queria que fosse doce,

Um lindo pé de algodão doce,

Os meninos permanecerem doces,

E nossas meninas em seus sonhos doces.


Eu não consigo não sentir. E sinto muito. Eu me perdoo, me amo, sou grata, mas tudo isso dói.


Preciso que você seja a exceção no meu texto. Seja digno de ser observado e aclamado como exceção na minha vida.


A realidade de muitos que me cercam, não comem palavras, e nem as conhecem, mal sabem assinar seu nome.

Por aqui, ninguém sobreviverá com expectativas irreais da mídia, ninguém sobreviverá trancado em um cômodo cheio de bocas famintas pra alimentar ou com algum ente querido enfermo, sem expectativas de melhoras.

Então, eu hoje, não estou aqui para dizer que vai ficar tudo bem, que tudo isso vai passar e voltar ao normal como era antes, não vai, não vai não. Muitos vão falecer no processo, quando não pelo físico, vão pelo emocional.

Eu agradeço por esse momento vivido, e de muitas maneiras compreendo o quão importante são esses acontecimentos, o quão necessário é estar consciente disso, o quão diferente é poder me firmar com minhas crenças, mas, a realidade, por aqui, é outra, e ela foge ao meu alcance, e muitas das vezes da minha capacidade de ajudar de forma realmente eficaz.

Orar, move o universo, mas, quem tem sede por exemplo, precisa de água, agora. Não amanhã.

Muitos conhecidos já estão passando dificuldade reais, muitos estão e ficarão recolhidos em seus lares, não só em tempos de isolamento, mas, no pós pandemia também.

Sem falar da galera que já era isolada, fechada, deprê, etc. pode tá tendo a oportunidade de não se sentirem sozinhos, mas, também podem tá vivendo um trampolim para o precipício.

Isso é real. E, é preocupante.

Pessoas com a psique saudável não estão conseguindo se adaptar, imagina quem já tinha o mental destruído.

Enquanto alguns seguem a vida, totalmente consciente e familiarizado com a realidade desse momento, outros estão traçando uma guerra interna real. E eles estão perdendo.

Mais um, menos um. Um dia de cada vez!

O momento é de externar tudo aquilo que estava interiorizado, de limpar padrões destruidores, de autogestão, aceitação, etc., mas, lidar com todas essas oscilações e transformações requer um nível de consciência alto, estruturado, no mínimo desperto e disponível para receber o novo, para desaprender, para aprender.

E aí que a realidade socioeconômica entra em atrito.

Por mais que o cidadão esteja acostumado a “sobreviver” com o pouco que a vida lhe apresentava, hoje, a vida não tá apresentando nada, os que ainda tem alguma opção, muitas das vezes, não satisfazem as reais necessidades.


Um pai de família ceifa a própria vida, por não suportar a ideia de não ter o que levar de alimento para casa.

Compreende que alguns discursos não fazem a mínima diferença?

A mãe recebeu a assistência necessária que irá nutrir seus filhos pelos próximos dias-meses.

Os filhos, ainda sem entenderem, vão enterrar o pai achando que foi um acidente.


Um acidente, um triste acidente.

Queria dizer que minha realidade é outra. Sim, ela é, se for entrar nesse tipo de comparação, eu estou ótima, e segura, mas, isso também não é real, não estou isenta de problemas que podem ocorrer e dos que surgirão.

Como muitos, tenho, e terei dificuldades em vários aspectos, graças a Deus não me falta nada físico, e tenho fé, que a provisão continuará chegando, que a saúde continuará sendo estabelecida e que os meus, e a minha casa estarão protegidos.

Mas, e os outros?

E de quantos outros estou supondo?

São muitos que irão padecer momentos de grandes dificuldades.

É necessário despertar e criar novas expectativas para a realidade que está sendo gerada bem diante dos nossos olhos físicos.

Aos olhos espirituais, Deus está nos dando a oportunidade de conhecê-lo mais profundamente, seja para a compreensão do ser, seja para expansão dos propósitos.

É uma chance de esperança viva, uma chance de reconhecimento da nossa verdadeira natureza. Do nosso lar.

Uma chance de transitar entre mundos, e limpar tudo o quanto for possível.

Uma chance para se arrepender de preconceitos, das mentiras, dos gestos enganadores, das hipocrisias…

Uma oportunidade de converter os teus pés e o seu coração.

De transmutar o AMOR, a Luz, a paz!


Arruma a sua casa, limpa toda a sua bagunça.
Fortaleça as raízes, seja cabeça, e não calda.
Decida quem honrar, pois eles terão autoridade sobre sua vida.
Em rocha firme, construa novos alicerces,
Para erguer a coluna com sabedoria e firmeza.

Não esqueça o sal e o azeite!


Precisamos reinventarmo-nos,
E confiarmos em nossas estratégias,
Em nossos próprios passos,
Em nossos próximos passos.


Quantos passos preciso para chegar no coração?

E se eu voltar a correr, tenho um infarto, ou tu corre a maratona comigo?

Não. Esquece. Vou só dormir pra esquecer o dia.


Bom dia!